Sábado, 19 de junho de 2021
informe o texto

Notícias | Variedades

Travesti que aplicou silicone nas bochechas procura ajuda médica

Aos 30 anos, Juju se identifica como travesti e conta que fez aplicações de silicone industrial no rosto há cerca de dois anos e meio

31/08/2020 | 15:16

BHAZ

Travesti que aplicou silicone nas bochechas procura ajuda médica

Juju Oliveira pede ajuda para retirar silicone do rosto

Foto: Reprodução/Instagram/@oliveirajuju358

Se você mantém perfis nas redes sociais certamente se deparou, ao longo dos últimos dias, com um vídeo da gaúcha Juju Oliveira em algum momento. 

Moradora da cidade de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, ela recorreu à divulgação das imagens depois de receber diversos ataques por conta da aparência e a gravação viralizou. “Me chamam de fofão, virei chacota da sociedade. O vídeo que eu fiz foi um pedido de respeito para as pessoas”, diz. 

Aos 30 anos, Juju se identifica como travesti e conta que fez aplicações de silicone industrial no rosto há cerca de dois anos e meio. Em conversa com o BHAZ, hoje (30), ela admite ter procurado o procedimento para dar mais contorno à face. No entanto, as consequências a fizeram se arrepender. 

“O que fizeram em mim foi um crime. Eu procurei apenas fazer uma harmonização facial, tudo coisas básicas. Colocaram uma quantidade que não era para ter colocado, ninguém me contou que com o tempo ia ficar assim, enorme”, diz. “Eu reconheço que eu procurei uma coisa clandestina, sem autorização, eu fui na confiança e acabei me dando mal”, afirma ela. 

‘Não é uma brincadeira’ 

Juju explica que, além de conviver com as consequências do próprio erro, ainda precisa enfrentar preconceito sempre que sai de casa. 

“Hoje eu passo muito preconceito, as pessoas não têm respeito por mim. Elas me veem, elas fazem chacota de mim. Fazem todo tipo de piada, me chamam de ‘fofão'”, diz. “Eu acho isso uma falta de respeito, já que sabem que estou inchada por um problema de saúde, isso não é uma brincadeira. É muito errado”, conta. 

Para Juju, as pessoas devem ter respeito pelas outras “independente de como elas são”. “Elas tem que começar a ter respeito pelas pessoas, independente do jeito que elas são, não interessa. Ninguém está livre de nada nessa vida”, afirma. 

Apesar dos ataques sofridos, Juju diz que não pensa em acionar a Justiça contra quem a ofende. Ela prefere focar no carinho que tem recebido desde que o vídeo, pedindo por respeito, passou a ser compartilhado em diversas redes sociais. 

Humanidade 

A gaúcha também falou ao BHAZ sobre a gratidão que tem em relação às pessoas que se mobilizaram para ajudá-la, mas insiste que não quer dinheiro. “Eu agradeço muito a preocupação das pessoas, eu agradeço a boa vontade e tudo, mas não me sinto bem recebendo dinheiro das pessoas. Não por uma questão de orgulho, mas por não ser o que procuro para mim, não quero arrecadar dinheiro”, afirma. 

E, se nas ruas, Juju viveu demonstrações de ódio gratuito, nas redes sociais dela, o movimento tem sido justamente o contrário – com mensagens de carinho e humanidade. “Todos os meus seguidores, todas essas pessoas, me passam mensagens de amor, carinho e respeito. Sempre dizem coisas boas. Essas 15 mil pessoas que me seguiram [no Instagram], viram meu vídeo e gostaram de mim do jeitinho que eu sou”, diz ela. 

Prostituição

Durante o bate-papo, Juju também revelou que pretende largar a prostituição logo que conseguir a tão esperada ajuda. Ela diz que, por conta da aparência de agora, não tem condições de conseguir um emprego formal, mas que já trabalhou de carteira assinada e recorreu aos programas para complementar a renda. 

“No momento em que eu conseguir, em nome de Jesus eu vou conseguir uma pessoa que vai me ajudar, eu vou sair da prostituição. Foi uma segunda renda, mas tenho meus registros na carteira. Hoje, com o silicone, não tem como eu pedir serviço. Se eu fizer essa cirurgia, eu penso em mudar de vida, eu penso em arrumar um bom emprego. Eu penso em retomar a minha vida e não será na prostituição”, explica. 

Ajuda 

Por fim, Juju ainda relata que diversas propostas de ajuda surgiram ao longo dos últimos dias. Agora, ela avalia qual delas será melhor para retirar o silicone do rosto. Segundo a gaúcha, várias pessoas se mobilizaram ao mesmo tempo. 

“Chegou tudo junto, na mesma hora. A gente tem que ver o que vai ser mais seguro, então estamos vendo com calma. Um anestesistas se prontificou a me ajudar caso um cirurgião apareça. Vou participar de uma reunião segunda-feira com um advogado que está me ajudando. Tem várias pessoas, graças a Deus, agora é ver qual será o anjo que vai mudar minha vida”, diz. 

Para acompanhar os desdobramentos sobre o caso de Juju, ou se você se interessa em ajudá-la, basta acessar o Instagram dela.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet