Domingo, 24 de outubro de 2021
informe o texto

Notícias | Brasil/Mundo

Ministério da Saúde estuda necessidade da 3ª dose vacinal contra a Covid-19

O tema foi debatido hoje com especialistas e parlamentares

16/09/2021 | 09:39

Agência Brasil

Ministério da Saúde estuda necessidade da 3ª dose vacinal contra a Covid-19

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A disseminação da variante Delta da Covid-19 provocou um questionamento sobre a eficácia de algumas vacinas; e também sobre a possibilidade de uma terceira dose ou de uma dose de reforço do imunizante. Este foi o tema do debate da Comissão Temporária da Covid-19, no Senado, nesta segunda-feira (16).
 
Os casos de contaminação pelo coronavírus por pessoas com o ciclo de vacinação completo chamam a atenção de parlamentares e especialistas.
 
A secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, do Ministério da Saúde, Rosana Leite Melo, ressaltou a marca de duzentos milhões de doses já distribuídas no país e afirmou que é possível que haja a necessidade de uma dose de reforço da vacina, ou de uma terceira dose.
 
Segundo ela, o Ministério da Saúde tem estudos em andamento para saber que decisão tomar e sobre qual imunizante seria o mais adequado.
 
Segundo a diretora da Anvisa, Meiruze Freitas, vários países estão conduzindo estudos sobre uma terceira dose da vacina contra o coronavirus, e alguns até já estão aplicando a dose extra de imunizantes na população. Meiruze informou que a Anvisa está atenta às discussões fora do Brasil sobre a necessidade de mais uma dose.
 
Meiruze citou a Espanha, que pesquisa a eficácia de aplicar vacinas com tecnologias diferentes em um mesmo paciente, embora o país ainda siga aplicando a segunda dose com o mesmo imunizante. Segundo Meiruze, em países como a Austrália e a Alemanha, estudos sobre a aplicação de imunizantes diferentes apontam para a necessidade de doses de reforço somente em condições especiais, como pacientes de câncer, por exemplo, que têm a imunidade reduzida.
 
Também participou da audiência, a pesquisadora da Fiocruz, Margareth Dalcolmo, que acredita que a variante delta tem grandes chances de se tornar prevalecente em várias regiões do país. Somente no Rio de Janeiro, a pesquisadora, que também é médica, disse que já é possível perceber aumento de hospitalização de idosos com o ciclo de vacinação completo, assim como profissionais de saúde.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet