Domingo, 5 de dezembro de 2021
informe o texto

Notícias | Agro

Preços do boi gordo voltam a cair nas principais praças brasileiras

Elevação na oferta de animais oriundos de confinamento e pressão de baixa por parte dos compradores fazem arroba recuar para R$ 265 em São Paulo, informa a Scot Consultoria

28/10/2021 | 08:45

Portal DBO

Preços do boi gordo voltam a cair nas principais praças brasileiras

Foto: Reprodução

Nesta terça-feira, 26 de outubro, enquanto circulava a notícia de um suposto retorno gradual dos embarques brasileiros de carne bovina à China, os frigoríficos compradores voltaram a derrubar os preços do boi gordo (e demais categorias enviadas ao abate) em grande parte das praças pecuárias do País.

Nas regiões de São Paulo, houve retração diária de R$ 1/@ para as três categorias destinadas ao abate, segundo dados colhidos pela Scot Consultoria.

Agora, a arroba do boi paulista está precificada em R$ 265, preço bruto e a prazo.

“Porém, já ocorrem negócios pontuais de até R$ 10/@ abaixo da referência”, observam os analistas da Scot.

No caso da vaca e novilha gordas, as cotações estão, respectivamente, em R$ 259/@ e R$ 273/@ (preços brutos e a prazo), acrescenta a consultoria.

Segundo a IHS Markit, a dificuldade por parte dos pecuaristas em reter animais nos confinamentos também vem gerando aumento da oferta nos balcões de negócios.

Além do avanço nos custos da dieta, os pecuaristas reclamam da baixa disponibilidade dos principais insumos que compõem a ração.

“Grãos como milho e sorgo estão em falta em algumas praças, efeito da quebra das lavouras de segunda safra”, informa a IHS.

Em alguns casos, há relatos de pecuaristas tirando lotes mais leves do cocho e colocando no campo, já que as condições das pastagens começam a melhorar com a chegada das chuvas.

Do lado comprador, o foco da indústria frigorífica é garantir o escoamento adequado da produção e trabalhar os estoques, condição essa que ainda sugere limitar os abates, relata a IHS.

Além disso, continua a consultoria, muitas unidades de abate espalhadas pelo País, sobretudo os grandes grupos frigoríficos, possuem atualmente escalas de abate bastante confortáveis, gerada a partir da captação de lotes oriundos de confinamentos próprios ou de negociações no mercado a termo.

“Há plantas com escalas de abate preenchidas até meados do mês de novembro”, informa a IHS.

No front externo, o volume embarcado de carne bovina in natura pelo Brasil alcançou 62,62 mil toneladas durante os primeiros 15 dias úteis deste mês, de acordo com dados da Secretária Comércio Exterior (Secex).

A média diária exportada no período ficou em 4,17 mil toneladas, o que representa uma queda 48,7% frente à média de outubro do ano passado.

“Com base no resultado até aqui apresentado, os embarques devem somar cerca de 85 mil toneladas ao final de outubro, ou seja, pela primeira vez desde junho de 2018, as vendas externas mensais ficarão abaixo das 100 mil toneladas”, estima a IHS.

No atacado, os preços da carne bovina voltaram a recuar nesta terça-feira.

A lentidão das vendas da proteína continua a abrir espaço para quedas nos preços do cortes de dianteiro, ponta de agulha e vaca casada, relata a IHS.

Os baixos preços das carnes concorrentes (frango e suínos) também têm colaborado para fragilidade nos preços da proteína bovina, acrescenta a consultoria.

Cotações máximas desta terça-feira, 26 de outubro, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:
boi a R$ 263/@ (prazo)
vaca a R$ 256/@ (prazo)

MS-Dourados:
boi a R$ 261/@ (à vista)
vaca a R$ 254/@ (à vista)

MS-Campo Grande:
boi a R$ 263/@ (prazo)
vaca a R$ 256/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:
boi a R$ 263/@ (prazo)
vaca a R$ 256/@ (prazo)

MT-Cáceres:
boi a R$ 246/@ (prazo)
vaca a R$ 236/@ (prazo)

MT-Tangará:
boi a R$ 247/@ (prazo)
vaca a R$ 237/@ (prazo)

MT- Barra do Garças:
boi a R$ 245/@ (prazo)
vaca a R$ 238/@ (prazo)

MT-Cuiabá:
boi a R$ 246/@ (à vista)
vaca a R$ 244/@ (à vista)

MT-Colíder:
boi a R$ 246/@ (à vista)
vaca a R$ 241/@ (à vista)

GO-Goiânia:
boi a R$ 251/@ (prazo)
vaca R$ 241/@ (prazo)

GO-Sul:
boi a R$ 246/@ (prazo)
vaca a R$ 236/@ (prazo)

PR-Maringá:
boi a R$ 286/@ (à vista)
vaca a R$ 271/@ (à vista)

MG-Triângulo:
boi a R$ 246/@ (prazo)
vaca a R$ 243/@ (prazo)

MG-B.H.:
boi a R$ 251/@ (prazo)
vaca a R$ 246/@ (prazo)

BA-F. Santana:
boi a R$ 269/@ (à vista)
vaca a R$ 259/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:
boi a R$ 285/@ (à vista)
vaca a R$ 270/@ (à vista)

RS-Fronteira:
boi a R$ 285@ (à vista)
vaca a R$ 270/@ (à vista)

PA-Marabá:
boi a R$ 258/@ (prazo)
vaca a R$ 251/@ (prazo)

PA-Redenção:
boi a R$ 258/@ (prazo)
vaca a R$ 253/@ (prazo)

PA-Paragominas:
boi a R$ 261/@ (prazo)
vaca a R$ 255/@ (prazo)

TO-Araguaína:
boi a R$ 256/@ (prazo)
vaca a R$ 246/@ (prazo)

TO-Gurupi:
boi a R$ 256/@ (à vista)
vaca a R$ 251/@ (à vista)

RO-Cacoal:
boi a R$ 251/@ (à vista)
vaca a R$ 241/@ (à vista)

RJ-Campos:
boi a R$ 286/@ (prazo)
vaca a R$ 273/@ (prazo)

MA-Açailândia:
boi a R$ 256/@ (à vista)
vaca a R$ 248/@ (à vista)

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet