Domingo, 3 de julho de 2022
informe o texto

Notícias | Agro

Preços da soja operam entre estáveis e mais baixos com volatilidade de Chicago e do dólar

Nos contratos futuros, milho e trigo caíram forte, mas a soja teve uma sessão de muita volatilidade

25/05/2022 | 08:40 - Atualizada em 25/05/2022 | 14:41

Agência Safras

Preços da soja operam entre estáveis e mais baixos com volatilidade de Chicago e do dólar

Foto: Reprodução

Os preços da soja oscilaram entre estáveis e mais baixos nesta terça-feira (24) nas principais praças do país. A comercialização, mais uma vez, esteve travada. Apenas lotes pontuais trocaram de mãos.

Os participantes se ressentem de um quadro mais estável vindo dos fatores que formam os preços internos. Tanto o câmbio como a Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) apresentaram volatilidade.

– Passo Fundo (RS): a saca de 60 quilos caiu de R$ 192,50 para R$ 190,50

– Região das Missões: a cotação baixou de R$ 192,00 para R$ 190,00

– Porto de Rio Grande: o preço recuou de R$ 195,00 para R$ 193,00

– Cascavel (PR): o preço recuou de R$ 185,50 para R4 185,00 a saca

– Porto de Paranaguá (PR): a saca ficou em R$ 192,00

– Rondonópolis (MT): a saca baixou de R$ 176,00 para R$ 175,00

– Dourados (MS): a cotação permaneceu em R$ 178,00

– Rio Verde (GO): a saca estabilizou em R$ 172,50

Soja em Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a terça-feira com preços mistos. A boa demanda pela soja norte-americana limitou o impacto negativo do desempenho dos cereais vizinhos. Milho e trigo caíram forte, mas a soja teve uma sessão de muita volatilidade.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução de plantio das lavouras de soja. Até 22 de maio, a área plantada estava apontada em 50%. O mercado esperava o número em 49%. Na semana passada, eram 30%. Em igual período do ano passado, a semeadura era de 73%. A média é de 55%.

Os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam com alta de 6,00 centavos ou 0,35% a US$ 16,93 por bushel. A posição agosto teve cotação de US$ 16,32 1/4 por bushel, com ganho de 3,50 centavos de dólar ou 0,21%.

Nos subprodutos, a posição julho do farelo fechou com alta de US$ 4,60 ou 1,08% a US$ 427,10 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em julho fecharam a 80,12 centavos de dólar, com perda de 0,35 centavo ou 0,43%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 0,08%, sendo negociado a R$ 4,8110 para venda e a R$ 4,8090 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,7760 e a máxima de R$ 4,8530.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet