Quarta-feira, 17 de agosto de 2022
informe o texto

Notícias | Agro

Boi: expectativa é de preços mais altos na primeira quinzena de agosto

Com escalas de abate mais confortáveis, os frigoríficos ainda avaliam as melhores estratégias para compra de carne bovina no curto prazo

02/08/2022 | 10:55

Agência Safras

Boi: expectativa é de preços mais altos na primeira quinzena de agosto

Foto: Reprodução

O mercado físico de boi gordo registrou preços pouco alterados nesta segunda-feira (01).

De acordo com o analista de Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias, a semana iniciou com alguns frigoríficos ausentes da compra de gado, ainda avaliando as melhores estratégias de aquisição de boiadas para o curto prazo.

“Algumas unidades ainda contam com a incidência de animais a termo para compor suas escalas de abate, tornando o quadro mais confortável para determinadas indústrias. A demanda de carne bovina durante a primeira quinzena de agosto é um fator importante a ser considerado, podendo motivar alta dos preços no curto prazo”, diz Iglesias.

Dessa maneira, em São Paulo (SP), a referência para a arroba do boi teve redução e ficou em R$ 314. Já em Dourados (MS), os preços também caíram e ficaram em R$289.

Ao mesmo tempo, em Cuiabá (MT) a arroba de boi gordo teve queda, com, preço de R$ 287. Simultaneamente, em Uberaba (MG), os preços ainda são de R$290.

Finalmente, em Goiânia (GO), os preços do boi também se mantiveram e ficaram em R$ 290 a arroba.

Boi: mercado atacadista

Diferentemente, o mercado atacadista do boi gordo ainda apresentou preços firmes.

A tendência de curto prazo ainda remete a alta das cotações.

As exportações de carne bovina fresca, congelada ou refrigerada do Brasil renderam US$ 1,095 bilhão em julho (21 dias úteis), com média diária de US$ 52,170 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 167,292 mil toneladas, com média diária de 7,966 mil toneladas.

O preço médio da tonelada ficou em US$ 6.549,00. Em relação a junho de 2021, houve ganho de 27,4% no valor médio diário da exportação, alta de 5,9% na quantidade média diária exportada e valorização de 20,3% no preço médio

Dessa maneira, o quarto dianteiro do boi fechou com preço de R$ 16,20. Já a ponta de agulha também teve preço igual e ficou cotada a R$ 16,10.

Por fim, o quarto traseiro do boi mantém-se em R$ 21,90 por quilo.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet